Domingo, 15 de Agosto de 2010

 

Atravessamos a ilha e subitamente o mar dá lugar a uma paisagem lunar, árida, dura, compacta. Dizem-me que são frequentes as miragens. Eu não percebo. Ou melhor, compreendo o significado da palavra mas não entendo que visão se possa ter ali. O que vejo é esta realidade. A terra a estalar, esta força de castanho e cinzento, este céu imenso, esmagador. O estrago de um vulcão em forma de terra, uma terra que não vê chover quase há um ano, esta tão real, onde assento os pés agora. Avançamos na paisagem em direcção ao mar, paramos, olhamos para trás. A terra estéril transforma-se num lago de boas proporções. Parece um feitiço, um acto sobrenatural. Mesmo consciente que assisto a um fenómeno óptico, o meu espanto sobrevive. Dou uso aos binóculos e ainda é mais extraordinário. Uma miragem ampliada mas exacta, a zombar de mim. Segundos depois é um tornado ao longe. Quando considero se será também miragem, eis que se torna demasiado real. Nesta ilha a fronteira entre o céu e a terra esbate-se a um só compasso como se ser um brinquedo de deus fosse a sua essência.


Arquivado em:

afonso ferreira às 17:25 | link do post | comentar
|

2 comentários:
De Mar a 15 de Agosto de 2010 às 20:05
Meu Deus, tu escreves tão maravilhosamente bem que até nos falta o ar.


De Sea a 17 de Agosto de 2010 às 10:52
Caríssimo Afonso (permita-me que o trate desta forma),

Estava ansiosa por estes posts ! Contudo, fiquei confusa: está no Sal ou em S. Vicente?...

São ilhas diferentes morfológica e socialmente. O que as une são o clima e a música.

Permita-me discordar da "falta de cheiro" na ilha do Sal. O aroma trazido pelos ventos elísios, misturado com a essência de uma terra árida é inigualável. A menos que a massificação do turismo - com a construção desgovernada de hotéis , estradas e afins - tenha destruído esse "cheiro" que me deixou tantas saudades.

Verifiquei que deverá ter feito a volta à ilha (pelas miragens que descreve). Gostou? Sempre mergulhou na Buracona ? Desfrutou da calmaria de Pedra do Lume?

Para que não chegue cá totalmente desiludido, vá beber a tal caipirinha com grogue que lhe falei... Verá que (ao menos nisso) não sairá defraudado.

Espero que tenha umas fantásticas férias e que continue a escrever sobre as mesmas, pois do lado de cá terá uma leitora atenta e completamente roída de inveja :-))

Sea




Comentar post

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds