Segunda-feira, 29 de Outubro de 2012

 

 

 

László Moholy-Nagy, NYC 1930



O fim de Outubro trouxe de volta o rito anual de atrasar os relógios, adensando a escuridão que caía sobre as nossas tardes e deprimindo ainda mais a nação. Novembro começou com outra vaga de frio e com chuva quase diária. O tema de todas as conversas era a "crise". As tipografias do Estado imprimiam senhas de racionamento de gasolina. Não se via nada de semelhante àquilo desde aúltima guerra. A sensação geral é que estávamos a encaminharmo-nos para qualquer coisa grave, mas difícil deprever e impossível de evitar. Havia a suspeita de que o "tecido social" estava a desfazer-se, embora ninguém soubesse muito bem o que isso ia implicar. Mas eu estava feliz e ocupada, finalmente tinha um amante. Mel, Ian McEwan



afonso ferreira às 10:50 | link do post | comentar | ver comentários (4)
|

Domingo, 28 de Outubro de 2012

O acordo que Joaquim Oliveira tem em mãos para vender os activos de media que detém na Controlinveste foi assinado com o angolano Domingos Vunge. (...) o empresário com ligações à Neshold foi o interlocutor da operação que prevê a mudança de propriedade para mãos angolanas de meios como o "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias", "TSF" ou "O Jogo". (...) A concretizar-se o acordo esta será um reedição de uma estratégia já aplicada pelo empresário angolano em 2009, quando foi um dos rostos da operação de compra do "Sol". (...) Foi na sequência da compra do "Sol" que foi criada a Newshold, empresa presidida até este Verão pela advogada Ana Bruno e onde Domingos Vunge e Vítor Fernandes foram administradores até 2011. (...) a verdeira identidade titularidade da Newshold mantém-se até hoje desconhecida: a empresa é participada em 95% pela sociedade Pineview Overseas, sedeada numa offshore no Panamá. (...) No entanto, o Expresso sabe que o homem forte por detrás da Newshold é Álvaro Sobrinho, chairman do Banco Espírito Santo de Angola. (...) Depois do "Sol", a Newshold comprou uma participação inferior a 2% na Impresa – proprietária do Expresso – adquiriu 15,08% do Grupo Cofina – dono do "Correio da Manhã" – e assumiu a gestão do diário "i". É esta conjugação de activos – aliada ao desconhecimento sobre a titulariedade da Newshold – que suscita a preocupação (...): a concretizar-se a venda da Controlinveste e a confirmar-se a ligação de Domingos Vunge e a Newshold, a empresa angolana passa a deter – directa ou indirectamente – participações no "DN", no "JN", no "CM", e no "i", ou seja em quatro dos cinco diários jornalistas. Somando a estes meios o jornal "Sol", a rádio TSF e a possível participação na privatização da RTP, a Newshold fica na iminência de se tornar num dos mais poderosos grupos de media em Portugal. Sem que se saiba de forma oficial quem são os donos da empresa. Expresso, 27.10.12



afonso ferreira às 19:51 | link do post | comentar
|

Sábado, 27 de Outubro de 2012

A merger between Penguin and Random House would mean one company publishing 25% of all books in the UK.



afonso ferreira às 19:42 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 26 de Outubro de 2012

 

 

 

Cinco décadas de ditadura produziram um estranho fenómeno – não há português que não confunda vingança com justiça.



afonso ferreira às 22:32 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 25 de Outubro de 2012

Preparar uma prenda de anos com todo o cuidado; não é tarefa fácil congeminar em segredo algo que desejamos que seja inesquecível e eterno. 



afonso ferreira às 13:58 | link do post | comentar | ver comentários (2)
|

Revista literária Granta vai ter edição em Portugal.



afonso ferreira às 13:10 | link do post | comentar
|

Olho o monte de páginas que ficará no meu lugar na paz de um campo que tratei sozinho: resta-me voltar para casa e fechar a porta. O meu trabalho está praticamente terminado. Escrevi os livros que queria, da maneira como queria, dizendo o que queria: não altero uma linha ao que fiz e, se me dessem mais cem anos de vida em troca deles, não aceitava. Era exactamente isto que ambicionava fazer. Há uns dez dias acabei o último. Se tiver tempo, e embora a obra esteja redonda.



afonso ferreira às 12:44 | link do post | comentar
|

A advogada preta, gira, esperta e de dicção perfeita, defende dois arguidos pretos que alegadamente roubaram outro da mesma raça. Aqueles remetem-se ao silêncio, numa estratégia que viria a revelar-se inteligente e deixam a vítima meter os pés pelas mãos, contradizendo-se, voltando atrás, os olhos erráticos e o corpo a tiquetaquear, denunciando as pequenas mentiras e as meias verdades com que insiste em penalizar a assistência. (...)



afonso ferreira às 02:00 | link do post | comentar
|


Arquivado em:

afonso ferreira às 01:53 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 24 de Outubro de 2012


Duas excelentes notícias em menos de 24 horas e eu sem nenhuma garrafa de champanhe no frigorífico. Entretanto, mais dois capítulos do livro finalizados. E muitos assuntos melindrosos prestes a ser encerrados definitivamente. Moral? Qualquer coisa como o trabalho (deveria dizer resiliência?) compensa, etc, etc. Mais coisas por dizer, tantas e tantas coisas, mas agora vou sair e comemorar alarvemente. Até já.



afonso ferreira às 13:27 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2012



MANUEL ANTÓNIO PINA 1943-2012



afonso ferreira às 17:04 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

A adolescência é um território fértil nesse campo; aos vinte definimos o nosso tipo de amor; aos trinta descobrimos algumas formas bizarras de amor dos outros e que nem todos os filhos nascem pelos melhores motivos.



afonso ferreira às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Quem vive pelos media, morre pelos media.



afonso ferreira às 00:00 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 16 de Outubro de 2012

 

 

Margaret Monck, Lisboa, 1930


Os dias naufragam no calendário sem perdão pela ordem natural das coisas – horas transformam-se em minutos, os segundos finaram há muito. Como se as medidas de tempo perdessem o ritmo esperado, transmutando-se apenas em algo veloz que já não controlo. Faço as malas de viagem mais estranhas da minha vida – não recolho para levar; selo tudo para que permaneça imutável no meu regresso. No dia marcado no calendário, não estarei cá – não haverá mensagens, telefonemas, amigos ou pessoas menos espantadas –, espero estar bem acompanhado em local aprazível junto ao mar com uma garrafa de champanhe. 



afonso ferreira às 23:44 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 10 de Outubro de 2012

A Sonaecom confirmou hoje, em comunicado, uma reestruturação do jornal "Público". As alterações vão implicar a "previsível saída de 48 colaboradores" e "a redução da estrutura de custos em cerca de 3,5 milhões de euros por ano, com a diminuição de custos de funcionamento", refere o comunicado publicado no site do jornal.



afonso ferreira às 22:13 | link do post | comentar
|

Domingo, 7 de Outubro de 2012

Estão todos consternados, de cara à banda, não ouço falar de mais nada. A tragédia, a notícia inesperada a alastrar pelos jornais, as fotografias-chave do percurso, uma carreira tão promissora, um fulgor na juventude, o mundo nas suas mãos, a adulação, o poder. E também as más fotografias, as histórias lamentáveis que saíram na imprensa, o declínio, o corpo inchado de anos e anos de drogas, os amigos em retirada veloz – tudo a surgir à tona outra vez. Há sempre uma história, quase banal que o mal não tem muita imaginação; uma série de más escolhas, uma coisa levou a outra, todos sabem o rosário, culpa da depressão que durou anos, o cair nas mãos dos outros, as veias entupidas de coca, o fígado a liquefazer, o coração a rebentar uma noite esmagado pelos excessos todos do passado. Todos a afirmarem que eram gigantes, e, afinal, a verdade é serem os mais francos do grupo, enjaulados na sua escuridão, uma fraqueza insuportável aos próprios, eis a raiz de tudo – os fortes caem sete vezes e levantam-se oito. Quantas vezes já vi isto? Perdi a conta, sempre o mesmo calvário a finar da pior maneira.

 

 



afonso ferreira às 23:18 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Sábado, 6 de Outubro de 2012

Subitamente, os comprimidos começaram a fazer efeito. Ou a medicação foi ajustada, não sei bem. Então, o fervor com que escreve insultos encriptados renasce. Acorda cedo, excessivamente cedo, as madrugadas oferecem-lhe a confiança que lhe falta no resto – com as mulheres, na cama e fora dela;  e acima de tudo na escrita. A ficção nunca será um território conquistado, mas sabe que se misturar habilmente citações estratégicas de autores famosos com duas ou três piadas de esquina, algumas pessoas nunca deixarão de aplaudir por piedade. No fundo, entre os comprimidos e as palmas conquistadas a lágrimas e suor, pode sobreviver mais uns meses. [O idiota]



afonso ferreira às 09:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Terça-feira, 2 de Outubro de 2012

 

 

Fugir a meio do dia em boa companhia rumo ao mar, voltar com os cabelos revoltos e o corpo em sal, e o relógio ainda marcar 16h30.


Arquivado em:

afonso ferreira às 16:26 | link do post | comentar | ver comentários (4)
|

Segunda-feira, 1 de Outubro de 2012



Hoje chega ao fim um período de quatro meses a preparar um processo moroso que envolveu muito do meu (pouco) tempo disponível – documentos, testemunhas, gravações, depoimentos, papelada, investigações, reuniões, conselhos, e também algumas viagens. Pelo meio aconteceu o Verão, um dos mais intensos que tenho memória; não direi que mergulhar em cheio na sordidez humana seja das experiências mais agradáveis, mas a verdade é que este acontecimento acabou por ser apenas o pano de fundo para quatro meses inesquecíveis – pelo apoio e ajuda das pessoas interessantes, inteligentes e justas que estou rodeado. Aqui fica o meu agradecimento público. Que a festa comece, venha a rentrée.

 

 

 



afonso ferreira às 14:02 | link do post | comentar
|

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds