Quinta-feira, 14 de Abril de 2011

 

A senhora do café aproveita a minha entrada para fazer a piada. Temos uma troca de graçolas diárias combinada para confundir o quotidiano. Faz sinal com a cabeça para uma mesa de um casal de velhotes. Estão aqui desde o meio-dia, são cinco da tarde. Ele é surdo, ela tem alzheimer. Que lhe parece? O melhor é marcar hotel. Rimos. Sento-me a tomar o café com vista para a parelha improvável. Ela tem oitenta e muitos anos, ele já fez noventa. Ele era advogado e continua a ser o procurador dela. Discutem animados um caso antigo, um casamento que se desfez. Aquando do divórcio a mulher ficou sem nada. Antes do 25 de Abril era comum neste tipo de situações, embora o divórcio ainda fosse raro. Ele replica dizendo que era um casamento em regime de separação total de bens. Isso não era separação total de bens, era um roubo, diz ela. Para doente de alzheimer é mais lúcida que muita gente que conheço, penso eu a tentar esticar o café. Para surdo, ele ouve-a sem perder palavra. Depois falam de uma casa que parecem conhecer bem. E de pessoas e memórias em comum. A mãe dele era uma pessoa de má índole. Na realidade era mesmo , palavra deles. Parece que estragou os planos e as vidas de muita gente. Não fosse a mãe sem coração e teriam casado, revelam os dois no café numa tarde de sol.



afonso ferreira às 00:14 | link do post | comentar
|

11 comentários:
De dg a 14 de Abril de 2011 às 10:12
grande pinta - porque é que os relatos do quotidiano, simples e naturais, (nos) acrescentam sempre algo? talvez porque aprendemos sempre alguma coisa e sem esforço. excelente post.


De afonso ferreira a 19 de Abril de 2011 às 02:20
Obrigado pelo comentário, dg.


De Maria Pascoal a 14 de Abril de 2011 às 15:00
"...ele é surdo, ela tem alzheimer.Que lhe parece?..."

Não tendo nada contra mas tb não tendo nada a favor..a mim parece-me lindamente...um "mais que perfeito" encantamento..e duradouro qb!

Absolutamente Genial, este post!!!!

Maria Pascoal


De afonso ferreira a 19 de Abril de 2011 às 02:20
Obrigado, Maria.


De geriatriaaminhavida a 14 de Abril de 2011 às 17:03
Velhotes é cá comigo, não fosse eu trabalhar numa instituição de idosos.
Quem me dera que os doentes de Alzheimer, lá do Lar estivessem assim tão lúcidos. Parabéns pelo destaque do sapo.
Se não se importar virei mais vezes


De afonso ferreira a 19 de Abril de 2011 às 02:21
Não só não me importo como agradeço a sua leitura. abraço.


De Naçao Valente a 14 de Abril de 2011 às 22:43
Para além dos temas que fazem manchete, do diz que diz, das opiniões dos opinadores, esta é vida como ela é, na complexa simplicidade do quotidiano.

Gostei do que li. Parabéns por merecer destaque e parabéns ao sapo por o ter destacado.
MG


De afonso ferreira a 19 de Abril de 2011 às 02:24
Obrigado eu por aqui ter passado, MG.


De SE a 15 de Abril de 2011 às 22:25
Um encantamento que resiste ao tempo, apesar de não ter tido força ou oportunidade para se impor de outra forma. Talvez não precisasse e se mantenha por isso mesmo. Agradável encontrar o amor, o apreço, o carinho neste seu post que reflecte as emoções vividas em idade avançada.


De afonso ferreira a 19 de Abril de 2011 às 02:23
Se chegar a velho com o alzheimer e a surdez destes dois, a vida não terá corrido mal de certeza.


De Cronicamente Afónica a 29 de Abril de 2011 às 17:16
Delicioso! Como é possível que de uma situação - aparentemente- cómica, sai um desfecho destes?
Adorei a formo como descreve ao diálogo deles. É, sem dúvida, um dos melhores que já li por aqui.
Bem-haja!


Comentar post

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds