Segunda-feira, 2 de Maio de 2011

 

No restaurante o jovem empresário de sucesso explica o sistema da prateleira entre descrições de feitos empresariais heróicos. Uma sala sem janelas, uma folha A4 em branco e um lápis. Dias, semanas, meses. Até a pessoa desistir e sair da empresa. Isto tudo acontece neste momento a uma mulher, funcionária numa colmeia de sonho de um amigo do jovem capitalista. Tento por todos os meios perceber se condena ou aplaude o método tão prosaico de atirar pessoas para a alheta, mas não chego a nenhuma conclusão satisfatória, embora desconfie sempre de alguém que conte histórias de um amigo. É como as anedotas, acontece sempre ao outro. Depois há o resto, neve na Damaia, o Bin Laden morto, a crise. A sacana da crise. Ao chegar à empresa percebo que uma colega grávida de cinco meses foi dispensada com um dia de antecedência. À noite atiro-me para um taxi, estou desalinhado, cansaço a escorrer pela fachada, os miolos a misturem-se às vértebras que já estão num estado tal que pouco falta para tocarem acordeão. O taxista tem 130 anos, mais valia ter apanhado uma caleche. Pela janela vejo o ensaio da marcha, uma conspiração na avenida de quatro chuis montados em segways, as boas pessoas a distribuírem comida aos sem abrigo à porta da igreja. Saio de propósito do taxi mais longe para poder andar um pouco, e penso na tempestade de há uns dias, nas discussões políticas madrugada fora que sempre vão dando os seus frutos, em ti, nos almoços em que não digo o que devia, sílabas e imagens temperadas a acompanhar com tomate e cebola e o Verão aqui tão perto. Ah, ainda falta a primeira viagem transatlântica de zeppelin, da Alemanha ao Brasil em seis dias. Mas isso fica para depois.



afonso ferreira às 22:30 | link do post | comentar
|

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds