Quarta-feira, 28 de Março de 2012

Certos estados de espírito não se coadunam com o Verão, é uma constatação antiga, de modo que para conseguir pensar melhor lá fui eu à igreja mais próxima, por acaso a de São Domingos ao Rossio, enquanto esperava por um fax maldito que tardava a chegar ao banco. Sendo a minha religiosidade proporcional ao meu desprezo pelos bancários, particularmente os de um banco em especial, espero sinceramente não ter andado errado a vida toda e que deus seja realmente uma ilusão, ou que, pelo menos, tenha batido as botas e esteja Nietzsche coberto de sapiência, por que senão estou feito ao bife com a porcaria de pensamentos que levo para a casa dele. É sabido que quanto mais sórdidas são as minhas preocupações, mais necessidade sinto de espaços em silêncio, de preferência com tectos altos trabalhados e uns frescos a iluminar as paredes, de maneira que ir parar a igrejas é uma constante. Já consegui fazer quase tudo pelos templos da cidade – pensar, roer maças, escrever, acabar uma relação por sms, ler, diálogos com o meu amigo imaginário, escrever uma apresentação inteira para uma reunião, esperar faxes do banco... –, enfim, são infindáveis as possibilidades, excepto quando há missa e me perco nos sermões.



afonso ferreira às 21:22 | link do post | comentar
|

3 comentários:
De Fátima Soares a 28 de Março de 2012 às 22:10
E o que dizer. Um post espectacular. E a igreja de S. Domingos é muito fresca, além de bonita...Mas um pouco "queimada"...Paciência acontece ao melhor. Contudo propícia (sem dúvida) a todos esses imensos afazes de um homem ocupado. Vejamos! Em mais nenhum lugar (estou certa) Deus lhe perdoaria tão depressa acabar com a relação... Assim ficou imediatamente abençoado e absolvido. Quanto aos bancários, pensei que eram os bancos grandes e corridos da igreja... Sorry ! My mistake !!! Adorei. Uma boa noite.


De afonso ferreira a 29 de Março de 2012 às 00:52
é verdade que está um pouco chamuscada, mas isso faz parte do encanto. não sei se sou perdoado ou não com tanta rapidez, mas depois de bater as botas aposto que vou descobrir num ápice...


De Fátima Soares a 29 de Março de 2012 às 12:52
Hum... Concordo com o encanto. Agora convenhamos que era um azar redondo uma pessoa morrer e ter de "prestar contas" o que quer dizer que não é só "aqui" que existe um Victor Gaspar e uma Troika...E depois, quem nos diz que há alguma coisa e não é só finalmente paz e sossego...Ou que Deus é uma mulher e só castiga as suas homónimas e perdoa os homens da (cidade e do campo) isto deve dar pelo menos para que me excomunguem Agora veja o meu amigo se tem coisas para ser penalizado, o meu caso!!! Estou a gracejar e espero que não me leve a mal, porque viso apenas uma sadia partilha e forma bem disposta de encarar as coisas. Já agora o meus blogues também andam com os problemas que aponta portanto deverá ser mesmo da plataforma. Um bom resto de semana. Cumprimentos


Comentar post

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds