Segunda-feira, 4 de Junho de 2012

Sobre a noticia do pedido de demissão por parte da jornalista, no centro de toda a polémica com o ministro Miguel Relvas, só se pode concluir que tem toda a razão – perdeu a confiança que depositava no jornal onde trabalhava. O jornal, em vez a proteger, decide expor a sua vida pessoal (executando o que o ministro tinha ameaçado...) sem medir consequências do efeito dessa decisão na vida da jornalista. Para piorar as coisas, a informação é falsa (o companheiro não pertence à oposição). O que fazer num caso destes? Bater o pé. E a porta do jornal de permeio. É preciso ter coragem para tomar uma decisão destas numa altura de crise económica e a imprensa nas ruas da amargura – a coragem que faltou à directora do jornal e ao ministro para pedirem a demissão dos respectivos cargos. 


Arquivado em:

afonso ferreira às 23:34 | link do post | comentar
|

2 comentários:
De Maria a 5 de Junho de 2012 às 10:25
Infelizmente, a corda rebenta sempre para o mais fraco.
Temos ministros de m****da. e directores de jornais também.
Boa sorte para a Sra. Jornalista, que nunca perca a coragem para denunciar esta corja de corruptos que nos poem na miséria.


De p.de lima a 5 de Junho de 2012 às 23:24
Parabéns à jornalista, mulher coragem que agiu de acordo com os seus códigos de ética e de conduta, mesmo em tempos de crise... correndo o risco de ficar sem trabalho.
A comunicação social continua a não ser isenta nem a oferecer qualquer tipo de protecção aos que diariamente exercem no jornal x ou y a sua profissão.
Mais lamentável a ambição desmedida de Relvas pelo poder e a sua ligação a Passos Coelho que não o demite, porque foi Relvas que o colocou no poder...
E a ambição pelas cadeiras do poder é inadmissível, quando a função dos governantes é servir o País e não servirem-se "dele" e "do seu jogo manipulador de interesses".
Penso que o seu texto é bastante coerente. Parabéns.


Comentar post

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds