Terça-feira, 12 de Junho de 2012

 

Se me tivessem contado a história julgaria ser mentira, mas aconteceu-me a mim. Hoje. Depois de ter ficado no fim-de-semana com o telemóvel limpo de contactos e ter passado o dia a receber chamadas de 'anónimos', consegui a proeza de trocar várias mensagens com um desconhecido que tinha exactamente o mesmo nome de um amigo. O mais bizarro é o nome ser bastante invulgar, o que facilitou o erro. Mas para piorar a situação, o nosso contacto resumiu-se a combinar um almoço. A esta altura deverão estar a perguntar como é que duas pessoas que não se conhecem de lado nenhum conseguem combinar um encontro nestas circuntâncias. Também eu pergunto como é que isto aconteceu e ainda é difícil de explicar. O mais insólito é que acabámos efectivamente por almoçar, nunca desfazendo o lapso inicial, e para aumentar ainda mais a confusão combinámos também jantar no mesmo dia. Esta talvez tenha sido de longe a história mais estranha de como conheci alguém que desconfio que daqui a muitos anos ainda estarei a combinar almoços.



afonso ferreira às 01:07 | link do post | comentar
|

1 comentário:
De Fátima Soares a 12 de Junho de 2012 às 15:01
Pode parecer absurdo mas acho isto espectacular num tempo em que já quase nada se faz cara a cara. Ao menos que haja este intercâmbio saudável de almoço/jantar sem as nossas relações passarem muitas delas através de uma máquina. Ainda bem que há música ao vivo, e gente "ao vivo"! E quem sabe como diz não nasce daqui uma boa e bonita amizade? Nada é por acaso penso eu. Será?Um resto de bom dia


Comentar post

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

the end

Sleepless people

provérbio transmontano

cry me a river

Falta de rigor

obrigado

prémios literários

meia-noite

battle

status

Día domingo

imaginação

virtudes públicas, vícios...

fios

Estudos de um processo

constatação de sábado

A história de uma tragédi...

Dias felizes

A Alice é psicótica

debandada

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds