Quarta-feira, 02.11.11

Uma vez recebi uma carta que ainda jaz em alguma gaveta que rezava assim. (...) Ainda agora espero que a porta abra e sejas tu. Que voltes atrás, que reconsideres. Gosto muito de ti, mas gosto ainda mais de mim.


Arquivado em:

afonso ferreira às 23:21 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Terça-feira, 08.02.11

Recebi uma carta hoje onde é pedido que resuma o meu percurso em poucas linhas. Duas horas e três rascunhos depois rendo-me às evidências. A minha vida não cabe em linhas.


Arquivado em:

afonso ferreira às 16:18 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 15.12.10

 

 

Poema inacabado e inédito do marido da poetisa, Ted Hughes, revelado recentemente, revisita os últimos momentos de Sylvia Plath e os acontecimentos dos dias anteriores, quando ele recebeu, antes do tempo, uma nota de suicídio. Last Letter é uma espécie de epílogo perfeito para uma tragédia de contornos shakespearianos: uma confissão.

Via Mundo Pessoa

 


Arquivado em:

afonso ferreira às 04:11 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 12.11.10

Hoje o Nininho não vai a Belém porque, como não sabia se havia carros, combinei tá aqui às seis ho’as. Amanhã, a não sê qu’o Nininho não possa é que sai daqui pelas cinco e meia. (desenho de uma meia) (isto é a meia das cinco e meia).
Amanhã o Bebé espera pelo Nininho, sim? Em Belém, sim? Sim?
Jinhos, jinhos e mais jinhos.
Carta de Fernando Pessoa a Ophélia Queiroz, 31 de Maio de 1920


Arquivado em:

afonso ferreira às 12:56 | link do post | comentar
|

 

Às vezes receio que depois da minha morte desenterrem as coisas pirosas que escrevi para ti. Principalmente as que acabam em inho. Mas continuo a escrever e a enviar por não conseguir negar palavras.


Arquivado em:

afonso ferreira às 12:36 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 25.10.10

Às vezes penso que deveria escrever uma cartinha ao meu amor, toda manuscrita com a minha melhor caligrafia e em papel da ex-papelaria Fernandes.


Arquivado em:

afonso ferreira às 23:56 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 25.06.10

 

Chegou ontem. Tive de ler várias vezes o destinatário. Um Homem na Cidade. A minha primeira carta e logo com um convite para um jantar. Ao abrir o envelope rasguei o véu entre a realidade e a ficção. 


Arquivado em:

afonso ferreira às 17:42 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 26.05.10

Uma carta de amor


Arquivado em:

afonso ferreira às 02:26 | link do post | comentar | ver comentários (2)
|

Quarta-feira, 13.01.10

 

 

Eu, que se pudesse escrevia várias por dia, que aufiro o meu grau de empenho nas relações amorosas e ódio canino a algumas empresas e serviços pela quantidade enviada, descobri este post do Renato Teixeira no 5 dias a propósito de uma carta de amor. Já li duas vezes o post e declarei que esta é a frase do dia: 

 

“O ideal era que estivesses interessado por mim senão vou ter que mandar uma carta ao outro. Tu é que sabes.”

 

 


Arquivado em:

afonso ferreira às 12:24 | link do post | comentar
|


Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Artigos recentes

Amor próprio

Vida estranha

Last letter

A posteridade é tramada

Posteridade

Todas as cartas de amor s...

A primeira carta

Despedida eterna

Cartas

Arquivo

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Arquivado em

a minha língua é a pátria portuguesa

cartas

casamento gay

coisas extraordinárias do gabinete

conversas de caserna

corrupção

dias felizes

domingo

domingos

estudos

ghost writer

gira-discos

grandes crimes sem consequência

literatura

mercados

mundo virtual

outras cidades

paixonite

pequenas ficções sem consequência

perdido no arquivo

playlist

relvasgate

sonhos

suicídio público

taxistas

telenovela

um homem na megalópole

vendeta

viagens

todas as tags

links
Twitter
subscrever feeds